Estamos em processo de atualização e reindexação dos registros de ocorrência. O sistema apresentará flutuações no número de registros.
Qualquer dúvida entrar em contato pelo e-mail atendimento_sibbr@rnp.br.

nó brasileiro do GBIF SiBBr
List name
Espécies Nativas da Flora Brasileira de Valor Econômico Atual ou Potencial - Plantas para o Futuro - Região Norte
Owner
sibbr.brasil@gmail.com
List type
Species characters list
Description
O livro, disponibilizado no formato de lista, apresenta mais de 150 espécies nativas da Região Norte com valor econômico atual ou com potencial e que podem ser usadas de forma sustentável na produção de medicamentos, alimentos, aromas, condimentos, corantes, fibras, forragens como gramas e leguminosas, óleos e ornamentos. Entre os exemplos estão fibras que podem ser usadas em automóveis, corantes naturais para a indústria têxtil e alimentícias e fontes riquíssimas de vitaminas. Produzido pelo Ministério do Meio Ambiente o livro contou com a colaboração e o esforço de 147 renomados especialistas de universidades, instituições de pesquisa, empresas e ONGs do Brasil e do exterior. Por meio da disponibilização dessa obra no formato de lista, os usuários podem realizar filtros diversos, obter os registros das espécies disponíveis na plataforma, além de outras informações. Instituição publicadora: Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Biodiversidade. Nome Completo do Responsável: Lidio Coradin, Julcéia Camillo e Ima Célia Guimarães Vieira. – Brasília, DF: MMA, 2022. Licença de uso: Licença de uso público com atribuição sem fins lucrativos (CC-BY-NC) Como citar: CORADIN, Lidio; CAMILLO, Julcéia; VIEIRA, Ima Célia Guimarães (Ed.). Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro: região Norte. Brasília, DF: MMA, 2022. (Série Biodiversidade; 53). 1452p. Disponível em: . Acesso em: dia mês abreviado ano (sem virgula)
URL
https://www.gov.br/mma/pt-br/assuntos/biodiversidade/manejo-euso-sustentavel/flora
Date submitted
2022-08-30
Last Update
2022-08-30
Is private
No
Included in species pages
Yes
Authoritative
No
Invasive
No
Threatened
No
Part of the sensitive data service
No
Region
Not provided
Metadata Link
https://collectory.sibbr.gov.br/collectory/public/show/drt1661896856710

1 Number of Taxa

1 Distinct Species

Refine results

thumbnail species image
Genipa americana
Genipa americana L.
Genipapo
 
Action Supplied Name Scientific Name (matched) Image Author (matched) Common Name (matched) Familia Nome popular Grupo kingdom Descricão taxonômica Importância ecológica Distribuição Fonte das informações
Genipa americana L. Genipa americana L. Genipapo
Rubiaceae
Jenipapo
Corantes
Plantae
Árvore de caule ereto, com até 20m de altura e, aproximadamente, 60cm de diâmetro, ramos numerosos, formando copa grande e arredondada, com folhagem característica, casca lisa pouco espessa, verde ou acinzentada. Ramificação dicotômica. As folhas são curto pecioladas, estreitas na base, de coloração verde lustrosa, com tamanho entre 10 e 35cm de comprimento. Flores hermafroditas campanadas, brancas a amarelas com o passar do tempo sendo suavemente aromáticas. O fruto é do tipo baga, subglobosa ou ovoide e, quando maduro, apresenta tamanho variando na faixa de 10 a 12cm por 7 a 9cm e peso entre 200 e 400g. Sementes de forma ovóide, achatadas com polpa comestível e abundante (Andersen; Andersen, 1988).
: É uma árvore frutífera que ocorre de forma espontâneo e subespontâneo, raramente cultivada; todavia é muito frequente na natureza. Ocorre em várzeas úmidas em quase todo o território brasileiro. O jenipapeiro adapta-se muito bem ao clima tropical, crescendo com mais facilidade em regiões de clima quente, a exemplo do norte e nordeste do Brasil. Seu plantio não é recomendado em locais com inverno rigoroso ou onde ocorram geadas (Xavier; Xavier, 1976).O jenipapo é uma planta semidecídua, heliófila e caducifólia. O ciclo fenológico tem duração aproximada de um ano, com duas fases bem marcadas. A primeira é uma época de menor atividade, que ocorre entre fevereiro a julho, e a segunda se caracteriza principalmente pela queda de folhas e início de brotação. Os frutos amadurecem com a planta totalmente despida de folhas, o que na Região Norte, corresponde aos meses de outubro a abril. Porém, em muitas regiões observa-se a presença de frutos durante o ano todo. As plantas oriundas de semente, iniciam a fase eprodutiva entre 8 e 10 anos após o plantio (Silva et al., 2010).
Planta nativa, não endêmica do Brasil, com ocorrência conformada nas regiões Norte (Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins); Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe); Centro-Oeste (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso); Sudeste (Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo) e Sul (Paraná, Santa Catarina) (Flora do Brasil, 2018)
Espécies Nativas da Flora Brasileira de Valor Econômico Atual ou Potencial: Plantas para o Futuro - Região Norte Lidio Coradin; Julcéia Camillo; Ima Célia Guimaráes Viera. Brasília: MMA, 2022. 1454 p ISBN 978-65-88265-16-73
Items per page: